QUEM SOMOS      CADERNOS DO GREI      REVISTA OMNIA      NOTÍCIAS

ABOUT      SCIENTIFIC COMMISSION      EDITORIAL TEAM      CURRENT      ARCHIVES      SUBMISSIONS   
   
   

e-ISSN: 2183-4008 | ISSN: 2183-8720

    INFLUÊNCIAS BRASILEIRAS NUM NOVO ESTILO COMUNICACIONAL
    Uma visão “invasora” dos «brazucas» na radiodifusão portuguesa

    Volume 8, Issue 1 (2018), páginas 61 a 70
    DOI: https://doi.org/10.23882/OM08-1-2018-I

    Paulo Lepetri
    Universidade do Minho (Portugal)
    paulolepetri@gmail.com

    Resumo

    Esse artigo tem como objetivo abordar a importância que a linguagem radiodifusora brasileira teve para a portuguesa.
    Na perspetiva de que a linguagem brasileira foi fundamental para o surgimento de uma dinâmica que conduziu a um novo estilo comunicacional, tanto ao nível da programação como das emissões, o artigo vem demonstrar a relação histórica da comunicação lusa com a brasileira, através da invasão «brazuqueira».
    Esta invasão, que começou com a música popular brasileira, a partir da década de quarenta e provocada pelos inúmeros comunicadores brasileiros, chegados a Portugal.
    Foram estes profissionais de rádio e televisão que demarcaram uma nova intensidade comunicacional, extremamente contagiante no quotidiano de todos os recetores portugueses.
    Com a interferência dos «brazucas» na comunicação radiodifusora, vivenciamos uma nova postura, marco irreplicável e único no cenário deste país, trazendo uma nova imagem nos média portugueses, tocada pelas múltiplas alterações culturais, políticas e ideológicas.

    Palavras-chave: Rádio; televisão, linguagem comunicacional, «brazuca».

    BRAZILIAN INFLUENCES IN A NEW COMMUNICATION STYLE
    An invasive view of «brazucas» in the Portuguese media


    Abstract
    This article aims to address the importance that the Brazilian broadcasting language had for the Portuguese.
    In the perspective that the Brazilian language was fundamental for the emergence of a dynamic that led to a new communication style, both in terms of programming and emissions, the article demonstrates the historical relationship between Portuguese and Brazilian communication through the "brasuqueira ».
    This invasion, which began with Brazilian popular music, from the 1940s, and provoked by countless Brazilian communicators, arrived in Portugal.
    It was these radio and television professionals that demarcated a new intensity of communication, extremely contagious in the daily lives of all Portuguese recipients.
    With the interference of the "Brazucas" in the broadcasting communication, we experienced a new posture, an unmistakable and unique landmark in this country's scenario, bringing a new image in the Portuguese media, touched by multiple cultural, political and ideological changes.


    Keywords: Radio, television, communication language, «Brazuca».

    References:

    Aldé, L. (2004). O Zé Pereira. A evolução do Carnaval brasileiro. Folclore e datas importantes. Educação Pública: Fundação CECIERJ. Governo do Rio de Janeiro. Consultado em 04 outubro. 2016. Disponível em: http://www.educacaopublica.rj.gov.br/cultura/folclore/0013_04.html

    Alves, F. (1993). Os brasileiros: Emigração e retorno no Porto oitocentista. Porto: Edição do Autor.

    Knopfli, F. (2007). A comunidade portuguesa no Brasil. Revista População e Sociedade, 14(Parte II). Centro de Estudos da População. Economia e Sociedade. Edições Afrontamento. Consultado em 20 junho. 2017. Disponível em http://www.museuemigrantes.org/docs/memoria/emigracao%20portuguesa%20para%20brasil.pdf  

    Barreto, L. (2008). A aculturação portuguesa na expansão e o luso-tropicalismo. Portugal: Percurso de intelectualidade. Volume I, Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultura.

    Brittos, V. (2002). Por que aconteceu aqui: O rádio em 1938 no Brasil. Biblioteca On-line de Ciência da Comunicação. Consultado em 11 dezembro. 2017. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/brittos-valerio-radio-brasil-1938.pdf

    Caldas, W. (1985). Iniciação à Música Popular Brasileira. São Paulo: Editora Ática.

    Campos, A. (2017). Conhecendo as raízes culturais do Brasil. São Paulo: Editora Cultural Brasil.

    Carvalho, P. (2003). A história do Fado. Lisboa: Dom Quixote.

    Castagna, P. (s/d.). A Modinha e o Lundo nos séculos XVIII e XIX. Apostila do curso História da Música Brasileira. Instituto de Artes da UNESP. Consultado em 30 setembro. 2016. Disponível em https://escriturasvirreinales.files.wordpress.com/2014/04/lundum-y-modinha.pdf.

    Correia, F. (2015). Entrevista concedida em 07 de outubro.

    Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira, s/d. Domingos Calda Barbosa. Consultado em 10 outubro. 2017. Disponível em: http://dicionariompb.com.br/domingos-caldas-barbosa/dados-artisticos.

    Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira (s/d). Marchinhas Carnavalescas. Consultado em 04 novembro. 2017. Disponível em: http://dicionariompb.com.br/marcha-carnavalesca/dados-artisticos.

    Fernandes, M. (1978). Que país é este? Rio de Janeiro: Editora Desiderata.

    Isabelle, S. (2013). Os direitos de nacionalidade concedidos aos portugueses à luz das constituições brasileiras. Revista do Instituto do Direito Brasileiro, 2(13). (Faculdade de Direito – Universidade de Lisboa).

    Nórdica, A. (2012). Você sabe qual é a importância da cultura negra para a história do Brasil? Portal EBC. Consultado em 05 dezembro. 2016. Disponível em: http://www.ebc.com.br/infantil/voce-sabia/2012/11/voce-sabe-qual-e-a-importancia-da-cultura-negra-para-a-historia-do.

    Lee-Meddi, J. (2010). Doce Bárbaros - Encontro telúrico da MPB. Virtuália – O manifesto digital. Consultado em 10 janeiro. 2016. Disponível em: http://virtualiaomanifesto.blogspot.pt/2010/01/doces-barbaros-encontro-telurico-na-mpb.html.

    Melo, P. (2014). A imigração portuguesa no Brasil: Um olhar regional e de gênero nos censos populacionais de 1920-50. In Experiência da Primeira República no Brasil e em Portugal. Coimbra. Editora Imprensa da Universidade de Coimbra. Consultado em 20 dezembro. 2017. Disponível em: https://digitalis dsp.uc.pt/bitstream/10316.2/35885/1/A%20experie%cc%82ncia_artigo18.pdf.

    Moreira, S. (1998). Rádio Palanque. Rio de Janeiro: Mil Palavras.

    Moreira, S. (2000). O rádio no Brasil. Rio de Janeiro: Mil Palavras.

    Neto, A.; Maciel, B. (2008). O ensino jesuítico no período colonial brasileiro: algumas discussões. Educar, Curitiba, n. 31: Editora UFPR.

    Nicolay, R. (2012). O Fado de Portugal, do Brasil e do mundo: As teorias sobre a sua origem. Música, Mídia e Espaço Urbano. Contemporânea, edição 20, 2(Vol-10).

    Santos, M. (2016). Contribuição do Negro para a cultura brasileira. Revista Temas em Educação e Saúde, 12(2). (São Paulo: Editora Araraquara).

    Severiano, J.; Mello, Z. (1997). Canção do Tempo: 85 anos de música popular brasileira. Volume I. Rio de Janeiro: Editora 34.

    Silva, M.; Conrado, J. (2011). Te conheço de outos carnavais: A linguagem das escolas de Samba nos circuitos da comunicação entre Brasil e Portugal (Tese de Doutoramento). São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

    Tinhorão, J. (1998). História social da Música Popular Brasileira. São Paulo: Editora 34.

    Knopfli, F. (2007). A emigração portuguesa para o Brasil. Revista População e Sociedade, 14 (Parte II). Org. Pereira, Sousa e Ismênia. Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade. Edições Afrontamento. Consultado em 20 junho. 2017. Disponível em: http://www.museuemigrantes.org/docs/memoria/emigracao%20portuguesa%20para%20brasil.pdf.

   

Grupo de Estudos Interdisciplinares <grupo@grei.pt> Rua Vergílio Ferreira, n-º 11, 8005-546 Faro - PORTUGAL